Fórum Sobre a Espondilite Anquilosante

Partilhamos experiências, trocamos ideias, procuramos respostas... Porque cada testemunho é importante, para que possamos aprender mais e mais. Aprender a combater a dor e aprender a conViver com a Espondilite Anquilosante.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Fórum Sobre a Espondilite Anquilosante » Outros Tópicos... » O Dia a Dia de Alguém que Encontrou o Caminho...

O Dia a Dia de Alguém que Encontrou o Caminho...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Hoje foi um dia particularmente complicado... por isso, amanhã, eu conto como foi No e, ainda tenho que ir fazer o jantar...

Que seja! Laughing

Até de repente!

Susana Lopes

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Pois... ontem, foi um dia para esquecer!


Primeiro o tempo! Mas alguém me explica o que é que se passa Question Question Question

Está de enlouquecer uma pessoa! Ora está sol… ora chove… confused e o frio? Voltei a colocar os edredões na cama e voltei vestir o meu pijama de Inverno!



Não existem ossinhos nem articulações que aguentem! É que além da EA, também me diagnosticaram a tal da fibromialgia… eu não a considero uma doença: Uma chatice! É o que ela é (Se bem que estou cerca de 60% melhor, desde que comecei a dieta… não sei até que ponto, a dieta intervém na “chatice”…)!!!



Sempre que o tempo decide mudar… os meus músculos todos “berram”!

Mas não é só o meu corpo que berra!

Eu estou a trabalhar com a minha mãe: ela é ama, Grande Mulher! Não é nada fácil tomar conta de crianças!!! E, pior… ninguém dá o verdadeiro valor a uma ama! Eu já trabalho com a minha Grande Mãe - linda de morrer! - há cerca de dois anos, interrompidos pela doença, infelizmente. Agora, voltei a trabalhar com ela, há mais ou menos duas semanas.

Adoro trabalhar com crianças!



Eu não posso ter filhos, é uma grande mágoa para mim... mas, que é compensada com os "meus" meninos. Vá-se lá saber porquê eles parecem gostar de mim Embarassed drunken

Mas, voltando ao dia de ontem: um dos meus pequeninos resolveu começar uma birra às 9h e 30m da manhã e só terminou às 16h55m (sim, eu reparei nas horas, é que ele dorme muito pouco e, isso é muito prejudicial para um bebé, pelo que temos que avisar a mãe, para que esta fale com o pediatra. Ser ama não é só dar de comer, mudar fraldas, olhar por eles e pô-los a dormir! Há que ter atenção a qualquer sinal que nos possa indicar que algo não está bem)

E, não é que ele acordou 25 minutos depois?


Bem... só vos digo... cheguei a casa: Morta! Tudo doía!

Mas... fui-me deitar feliz! Consegui! Mais um dia, mais uma vitória!

E... mais uns metros feitos... na longa caminhada que tenho pela frente: agora, bem mais fácil, porque vos tenho a todos vós, meus tão queridos amigos!



Até de repente,

Susana Lopes



Última edição por Susana Lopes em Sex Maio 30, 2008 2:51 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Olá Susanita,

Não pude deixar de espreitar o teu "diário" sou uma cusca Rolling Eyes
Deve ser óptimo trabalhar com crianças e muito desgastante ao mesmo tempo. E então kando eles fazem birras. Evil or Very Mad
Também concordo contigo kando dizes k uma ama é mto mais k mudar fraldas, é uma pessoa em kem confiamos o nosso bem mais precioso sunny
Estes nossos dias andam mto loucos mas melhores ventos virão bounce

Bjinhos, flower

Ver perfil do usuário
Obrigada, amiga pelas tuas palavras!

Muitos
para ti!

Susana Lopes

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Decididamente, o meu diário parece estar destinado a ser escrito no dia seguinte à "coisa" acontecer... mas antes isso!

Ontem foi um dia cheio: de manhã, aproveitei que os estavam calminhos e deixei-os com a minha mãe.

Fui para a cozinha fazer Tarteletes de Abóbora com Caril e Croquetes de Queijo, para a minha irmã. Já há muito tempo que não lhe fazia nada… e, como sempre, adorei! A cozinha funciona, para mim, como uma caixa de "prozac"!

As Tarteletes de Abóbora com Caril ficaram muito boas - segundo o que a minha mãe me disse, pelo que estou a pensar fazer para mim - com a farinha de amêndoa sem pele, claro! Depois coloco a receita no tópico das receitas, combinado?



Todo o dia foi aquela correria de sempre até perto das 20 horas. Estou a adorar o facto de ter voltado ao "activo" - deixei de conseguir trabalhar em Março de 2006 - e estou a Amar o que estou a fazer! Não obstante, vou ter de estudar uma metodologia de trabalho, para que o que me aconteceu ontem, não se repita... ou, a repetir, que seja com menor intensidade...

Apesar de estar a ter resultados nunca esperados com a dieta sem amido - brilhantes, diga-se! - ainda tenho dores de enlouquecer! Aliado à fibromialgia, está a atrofia muscular que desenvolvi, por ter estado imobilizada tanto tempo. Os nossos exercícios obrigatórios não chegam, já que estão indicados para a mobilização das articulações. O problema são os meus músculos que precisam de ser estimulados. E isso só se consegue com a fisioterapia.


Já deveria ter começado mais uma série de sessões de fisioterapia mas... eu não quero estar constantemente a criticar os nossos serviços de saúde e os seus funcionários... contudo, isso é tarefa impossível! Mais um erro por parte da médica, que passou pelas mãos das administrativas do centro de saúde, sem que elas o tivessem detectado...

Chego, na sexta-feira passada, no IPR e oiço o seguinte: "Já há muito tempo que não aceitamos credenciais e todos os postos de saúde sabem disso!"

Por pouco eu não tinha tido consulta: valeu-me os 24€ que tive de pagar, para não perder a consulta! Contudo, apesar de ter sido consultada, só poderei marcar as sessões de fisioterapia quando tiver o formulário correcto!

Ou seja... cada dia que passa, é um dia que perco. Tudo seria tão mais fácil se estas pessoas - médicos e auxiliares - tivessem as nossas dores! De certeza que estariam com muito mais atenção, a fazer o seu trabalho! Esta incompetência deixa-me com vontade de... sei lá...



Mas, voltando ao dia de ontem: tirando a presença, novamente, activa das minhas companheiras - as minhas dores - o dia correu muito bem!

Os bebés são Lindos!!!! E são meus flower flower flower ! Confesso que ainda me emociono quando tenho um dos mais pequeninos ao colo - o menino tem 4 meses e a menina tem 5 meses... são tão pequeninos...

Quando descobri que não poderia ter filhos - eu que já tinha tudo planeado desde os meus onze anos - fiquei para "morrer"... estive mais de um ano a chorar "pelos cantos"... Pensava que já tinha ultrapassado isso.

Mas, agora, sempre que tenho que segurar neles, dar o biberão, mudar as fraldas... às vezes, quando me dou conta, estou a abraça-los, de olhos fechados... como se tivessesm saído de dentro de mim...

A minha mãe já deu conta disso e, sempre que me apanha a chorar - porque eu choro, pequenino, para que ninguém me veja (mas mãe é mãe e sabe sempre o que nos vai na alma) - ela, linda como sempre, tenta "dar" a volta como uma história tonta qualquer e acaba por conseguir fazer-me rir...

Juro que estou com uma vontade enorme de mostrar-vos como são lindos! Mas eu não gosto de colocar fotos de bebés na net...

Amigos... agora vou trabalhar. Se ficar em casa porque doi muito... a dor piora ainda mais! Por isso, vou devagar... mas Vou!

Para voçês,

Até de repente!

Susana Lopes

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

6 O meu diário. em Qua Maio 28, 2008 2:50 am

Bom dia a todos! flower

Tenho que pensar num nome para o meu diário study

Se tinha algumas dúvidas quanto à dieta, esta noite confirmei que tinha que a fazer. Não sei se convosco se passa o mesmo, mas as noites para mim são um verdadeiro teste de resistência.
Durmo muito pouco, não tenho posição para estar sem dores, enfim affraid
Apesar de tudo, de manhã é quando estou "melhor" cheers , ao final do dia acabou-se a resistência Sleep
Por isso o meu diário será feito de manhã.
Amiga Susana, cuidar de crianças vai ser um desafio para si, terá dias muito positivos e outros nem tanto. Mas o sorriso e o amor de uma criança compensa tudo. Elas são verdadeiras e únicas.
I love you I love you
Até amanhã,

beijinhos

Fernanda Páscoa lol!

Ver perfil do usuário
Olá,

Susanita só para te deixar um beijão e muita força. Não deve ser nada fácil estar na tua situação. Eu ainda estou a começar e também não sei o que me espera na chamada "maternidade" mas acompanho de pero uma amiga que está a em exames e consultas à 4 anos.

Bjinhos, flower

Ver perfil do usuário
Eis que finalmente chega o fim-de-semana! Confesso que me sinto completamente esgotada...

Mas, consegui chegar ao último dia da semana! E isso, para mim é uma Vitória!

Consegui... e as dores estão a desaparecer novamente, pelo que depreendo que o meu corpo está a conseguir adaptar-se ao esforço contínuo que é submetido, no meu trabalho!

Mas, não só o corpo. Sinto que a minha cabeça - apesar de ter enlouquecido de dores, ontem - está mais leve, mais clara.

Sim... realmente, o que eu dizia ao meu querido Dr. Artur - meu I love you médico de MTC - era verdade: mal eu conseguisse retornar ao trabalho, de certeza que me iria sentir muito melhor...

O trabalho, para mim, funciona melhor que qualquer ansiolítico e\ou anti-depressivo!

Sinto-me de novo realizada... e, isso... deixa-me muito (mas mesmo muito) feliz.


Susana Lopes



Última edição por Susana Lopes em Sab Maio 31, 2008 6:25 am, editado 2 vez(es)

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Olá Susana,

Não vais acreditar... a minha amiga conseguiu finalmente engravidar, estou tão contente por ela. Mas por precaução teve que ficar internada em Coimbra. Estou mesmo contente bounce bounce bounce

Bjinhos e bom fim-de-semana, flower

Ver perfil do usuário
Olá, !

Fiquei muito feliz pela notícia! Uma gravidez é sempre um motivo de alegria flower ! Muitos beijos para a tua amiga e desejos de muita felicidade!

Até de repente,

Susana Lopes

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Olá Susana,

Adorei o smiley Razz

Tenho andado desaparecida porque estou com 2 empregos e o tempo ás vezes torna-se muito pouco mas claro que assim que posso venho dar uma espreitadela.

Bjinhos,

Ver perfil do usuário
Mais uma semana passou... mais uns metros feitos nesta caminhada a que me propus fazer.

Foram dias extenuantes. Tive manhãs em que mal conseguia colocar os pés no chão, e quando chegava a casa do trabalho, só me apetecia atirar-me para a cama…

Não obstante, este cansaço extremo sentia-o como mais uma vitória. Ontem, enquanto arrumava a casa, não podia deixar de sorrir. Sim, porque depois de mais uma semana de trabalhos forçados – a minha homenagem a todas as mães a tempo inteiro – eu não estava no meio de uma crise daquelas que todos nós sabemos como são.

Sorrir… sim, porque sinto que consegui.

Foi-me colocado obstáculo no meu caminho. Uma parede feita de betão, espessa e alta, muito alta. À primeira vista, impossível de transpor.

Quando me deparei com este muro – completo de dor e de desespero – perdi quase tudo. Até a esperança… a fé.

Agora, só posso sentir uma grande alegria porque, apesar de ter demorado dois anos a perceber que estava na hora de parar de chorar e ir à luta, finalmente acordei desse desalento que me deixava inerte perante a Vida que a EA me estava a tirar – a Viver por mim.

Hoje é domingo. O dia acordou com um sorriso, o qual eu retribui. sunny

Porque a Vida somos nós que a fazemos. Se sorrirmos para a vida, a Vida sorri para nós.

Então, porquê chorar? Mudará alguma coisa? Não. Foi preciso a experiência me ensinar que o desespero, não nos “leva a lugar nenhum”… não é por chorar que a ea desparece.

Lembro-me de um dia olhar para uma pessoa que, devido a alguma deficiência física, se encontrava numa cadeira de rodas. Um único pensamento: “ao menos ele não tem dores”.

Egoísta! Sim, fui uma egoísta e envergonho-me por isso. A dor não me permitia qualquer outro pensamento. Tornei-me uma pessoa egoísta, triste, amargurada.

Apesar de me sentir, ainda, um tanto "anti-social" - só a ideia de ter de ir a algum lado, onde esteja muita genta, deixa-me ansiosa - toda a minha Visão da Vida mudou. E eu sinto-me agradecida por isso.

Esta doeça ensinou-me tanto... por isso, eu costumo dizer que me sinto grata por ter passado por tudo o que passei. Agradeço à ea por me ter dado a oportunidade de me aperceber que a vida que levava, antes de adoecer, não era vida... limitava-me a viver para estar viva.

"Vive a Vida, não deixes que a vida viva por ti!" - foi a lição que eu tive que aprender...

Por tudo isto que passei – hoje sei, que para mim foi somente uma prova que eu necessitava de prestar - mesmo quando me sinto mais cansada, mesmo quando certos pensamentos insistem em atormentar-me a alma, eu não deixo de sorrir. Mesmo quando choro de dores… choro a sorrir.

Porque sim. Porque eu mereço


Aliás... todos nós merecemos! E eu sei que se eu consegui chegar aqui... todos vós também conseguiram! E, nunca se esqueçam... se precisarem, estarei sempre aqui...



Su

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

13 Como acompreendo minha amiga! em Dom Jun 08, 2008 7:27 am

Querida Susana I love you

Faço minhas as suas palavras, acho que todos os que sofrem, foram escolhidos porque são especiais.
Aprendi muito com a ea como já aqui disse, e estou todos os dias a aprender.
O que tenho aprendido aqui não tem palavras para descrever.
Aqui readquiri ESPERANÇA que era algo que estava a perder. Só por isso e pelo seu lindo exemplo valeu a pena e vale, tudo o que passei.
Obrigada AMIGA

Beijinhos

Fernanda Páscoa lol!

Ver perfil do usuário
Não podemos tomar nada como garantido!

Pois é... aqui estou eu, cheia de dores porque comi sem olhar o rótulo! Nesta altura, isso é imperdoável! O meu problema foi o excesso de confiança.


A semana correu muito bem... nada como dois feriados para conseguirmos "recarregar baterias". E como eu estava a precisar! O problema foi o fim-de-semana!

Este fim-de-semana fui a uma festa de ...

Não... não comi bolo de aniversário, nem qualquer outro tipo de bolos ou bolinhos. Nem tartes ou tarteletes... sim, pode-se dizer que - nesta primeira festa que fui, depois de ter alterado o meu regime alimentar - foi muito difícil.

A mesa estava repleta de coisa boas que chamavam or mim: desde doces a salgados... tudo muiiito apetitoso.

Mas... eu fui ! Resisti a toda a tentação: e, acreditem, amigos... a tentação foi enorme!

Só comi queijo e paio. Também havia mortadela. Confesso que não sou grande apreciadora de tal, contudo, eu fui à cozinha ver o rótulo da dita mortadela. Não: tinha vestígios de mostarda. A mostarda poderia ter amido... eu não quis arriscar.Também tomei atenção aos rótulo do queijo... sinal verde! Não tinha amido...

Espertinha, esqueci de verificar o rótulo do paio.

À noite, os meus pés doíam-me tanto... os joelhos, então... eu associei à caminhada que fiz. A casa da minha amiga fica longe de tudo.

Passei um noite terrível: tinha dores nos pés, joelhos, nas sacro-ilíacas, costas, pescoço... mas, o que é que eu terei feito de errado? Perguntei-me toda a noite...

Esperei - e desesperei - toda a manhã. Esperei as 13 da tarde e telefonei a minha querida amiga. Pedi-lhe para me ler o rótulo da embalagem do paio: afinal, foi a única coisa que eu comi sem tomar as devidas providencias (atenção ao rótulo!).

- " Carne de porco, massa de pimentão, massa de alho..."
- "Ok, miga... não precisas de dizer mais nada..."

Pois... foi a massa de alho...

Agora, resta-me esperar que passe. Não sei muito bem como vou conseguir ir trabalhar... mas vou. Ficar em casa não me adianta de nada e também detesto faltar, seja lá ao que for.

Até de repente,

Susana Lopes

ps. Atenção aos Rótulos!

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Ontem, quando sai do trabalho, passei por um senhor que aparentava ter cerca de setenta e poucos anos. Doente de ea, completamente curvado, com dificuldade em manter o equilíbrio, com um andar estranho...

Confesso que ainda me afecta muito, ver uma pessoa assim. Senti dó daquele senhor...

Mais tarde, já em casa, reparei que algo tinha mudado em mim: as perguntas mudaram... já não me questionei o que iria ser da minha vida quando chegasse àquele estado. “Como será que aquele senhor conseguirá dormir?” – foi pergunta que me ocorreu nesse instante.

Sim, afecta... mas a ea já não me assusta.

Foram muitos anos: cerca de duas décadas de dores moderadas a fortes, seis anos de dores fortes a muito fortes, dois anos de adaptação a este meu novo Eu.

Fez este mês dois anos que fui diagnosticada. Lembro-me muito bem desse dia. Fiquei tão aliviada! Feliz... “afinal eu não sou louca, afinal não é tudo da minha cabeça, afinal eu não sou preguiçosa e não quero viver do trabalho dos meus pais...” (a minha médica de família disse-me, a maior parte da minha família acusou-me, eu acreditei).

Depois vieram a curiosidade, a vontade de saber mais. Pesquisas e mais pesquisas trouxeram-me o espanto, a dúvida e, por fim o medo.

A partir desses dia, vivi cada fase das cinco fases que qualquer pessoa passa sempre que recebe um má notícia: a negação, a raiva, a revolta, a depressão (tão longa...) e, finalmente, a aceitação.

A aceitação veio acompanhada da vontade de perceber melhor a ea. Afinal, se eu iria ficar assim para o resto da minha vida, eu gostaria de saber o porquê!

E, assim, descobri a cura... mas a ea não tem cura – pelo menos foi o que me disseram! Não... não é verdade.

A Espondilite Anquilosante ainda me afecta. Mas já não me assusta.

Porque sei que a solução está em mim. Cheguei àquela fase que pensei jamais ser possível: a fase da cura.

Sei que se fizer os meus exercícios físicos diariamente, se me manter fiel ao meu novo regime alimentar – a dieta sem amido – e, principalmente, se continuar a sorrir (mesmo quando dói, porque às vezes dói), tudo se resolverá.

Tenho uma amiga muito querida que é uma inspiração para mim: ela está a passar por momentos muito complicados na sua vida. Não obstante, continua firme na sua dieta – é tão difícil fazer qualquer dieta, quando a nossa vida está triste... E sei que não falha a hidroginástica, apesar das dores que tem. Mais que uma inspiração, esta mulher é uma heroína e é um honra tê-la como amiga.

Por todas as razões e mais outras tantas, afirmo que já não tenho medo da ea. O monstro perdeu. Caiu-lhe a máscara.


Susana Lopes



Última edição por Susana Lopes em Qui Jun 19, 2008 12:43 am, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

16 Vencedora! em Qua Jun 18, 2008 7:05 am

Amigos:

Escrevi este poema num dia "complicado", acho que o posso partilhar convosco:

Réstia de Verão

Hei-de ir à procura
duma réstia de Verão
nas folhas secas de Setembro
caídas no chão.

Hei-de ir à procura
dos sonhos e das miragens
leves como algodão
que me iludiram...

Guardo-os na minha estante.

E quando o Inverno chegar
fecho os olhos
e recordo intensamente
essas luzes mortiças
restos de vida
réstias de Verão!


Encontrei o que procurava aqui!....Tenho uma amiga querida que me Inspira.
Beijos

Fernanda Páscoa
Sad

Ver perfil do usuário
Hoje é o primeiro dia de uma nova série de sessões de fisioterapia. Confesso, sinto-me nervosa. A primeira série foi um desastre: cada sessão, uma recaída...

Apesar de saber que não tenho razões para este receio - afinal, já me sinto bem - não deixo de pensar que tudo poderá correr mal, mais uma vez.

Bem, só experimentando é que se vê... verdade? Então, vamos lá! Em frente... mais uns passos nesta longa caminhada...

Até de repente,

Susana lopes

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Hoje tive a minha primeira sessão de fisioterapia...

Foi um tanto estranho... a água estava quentinha, sim. Mas: não é que a piscina - totalmente direccionada para a fisioterapia - era demasiado funda?

Agora, imaginem um grupo de senhoras pequeninas - como a mulher portuguesa comum - com água por cima do nariz! Tivemos que fazer os exercícios todos em "bicos de pés"! Só vos posso dizer, amigos... muito estranho Suspect

Infelizmente, uma senhora viu-se "obrigada" a desistir dessa e das seguintes sessões de fisioterapia. Além de não ser muito alta, a sua coluna já se encontrava um pouco curvada e tinha uma perna cujo joelho não flectia...

Eu pergunto-me: será que ninguém pensou nisto? Nós temos uma alternativa, é certo. Contudo, essa alternativa fica muito longe e praticamente não há transportes para lá...

Bem... não sei o que me custou mais: a fisioterapia propriamente dita... ou estar 45 minutos em "bicos de pés" tentando não engolir água!

Quando saí de lá pensei que não iria conseguir chegar ao trabalho. Estava tão exausta e tudo doía... Deixei de fazer fisio há mais de um ano: não nos podemos negligenciar assim. Quem perde somos nós.




Até de repente...

Susana

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Mais um dia de fisioterapia... vamos lá ver como corre, desta vez. Eu não me considero uma pessoa muito exigente, mas no que diz respeito aos cuidados de saúde, a situação altera-se! Pelo que estou ansiosa para conhecer a nova terapeuta.

Sim, segundo dia de fisioterapia e já tenho uma nova terapeuta... mas, creio que será melhor. Não me identifiquei muito com o terapeuta de segunda-feira...

Eu estava habituada ao terapeuta que está no AFID (centro que acolhe pessoas com vários graus de deficiência mental e que cede as instalações ao IPR). Este terapeuta é excelente! Ajuda os doentes a entrarem na piscina, faz os exercícios connosco, sempre alerta - não vá alguém precisar dele!

Comigo, então, era um querido: "Susana, menos é mais! Eu prefiro que faça pouco hoje para poder vê-la na próxima sessão: qual é a lógica de exagerar hoje e, por isso, ficar doente?". Estava sempre a ajudar, sempre preocupado... sabia os nossos nomes. E, quando a sessão terminava, lá ia ele ajudar os doentes que mais precisavam.

Um homem que gosta daquilo que faz e, principalmente, um homem que nos vê para além de números...



Bem... adiante. Hoje acordei com uma preguiça... mas estou bem, graças a Deus! Nunca pensei que o meu corpo reagisse tão bem à fisio. Há um ano atrás foi uma desgraça... ficava sempre doente. Mas desta vez, estou mesmo muito diferente: até a minha mãe notou! E eu... toda contente!

Estou mesmo muito grata por ter descoberto que não é necessário estar com dor crónica... basta "trabalhar" um pouco no nosso bem-estar, só isso.

Fiquem bem, amigos... está na hora!

Um beijo e até de repente!



Última edição por Susana Lopes em Sex Ago 08, 2008 5:15 am, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Eis que o domingo chega ao fim... e, por incrível que possa parecer, estou desejosa que chegue a segunda-feira! Não, não fiquei louca de vez! É que eu já há muito tempo que não me sentia como me sinto agora... Viva!

Amanhã, início de mais uma semana: fisioterapia, trabalho, chegar a casa, fazer o jantar... a correria do costume! Isto, para quem já nem sequer podia dar um passo... creio que me entendem, não?

A fisioterapia está a correr muito bem! A terapeuta é excelente, tem tudo o que um profissional de saúde tem que ter: é atenciosa, exigente contudo ciente nossa condição, alegre e interage connosco... o que dá uma nova vida à sessão. É que uma sessão de fisioterapia pode ser bastante divertida!



Até amanhã...

Susana

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/


Estive uns tempos desaparecida, eu sei... mas já estou de volta! Foi, sem dúvida, uma semaninha complicada mas já passou.

Tive uma crise de vesícula como há muito tempo eu não tinha... só começou a dar-me algum descanso, no fianl do dia de quinta-feira. Estive vários dias sem dormir, sem comer... de "maus fígados". Mas, graças a Deus, parece que já está a passar! Vou fazer uma eco, na quarta-feira. Vamos lá ver o que se passa... não será nada, por certo. Se for... trata-se!

Visto pelo lado positivo, não me apeteceu comer nada proibido !

O aborrecido foi o facto de ter faltado à fisioterapia, na quarta-feira...

Estou a gostar bastante da fisioterapia. Ao contrário do que se passou, no ano passado - cada sessão, uma semana doente, o meu corpo está a adaptar-se muito bem a este novo ritmo. E a terapeuta é tudo menos meiguinha! Não dá tréguas - tal qual como eu gosto. Claro que está sempre atenta a todos nós e não nos deixa ir além daquilo que podemos.

Uma semana sem fazer nada em casa = casa toda desarrumada. Agora, toca a arrumar!


Até de repente,

Susana

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/
Pois, pois... há tanto tempo que não venho aqui...

De crise em crise, confesso que me sinto um pouco desanimada. É a vesícula que não me dá tréguas, a ea que está novamente aí...

Devido a uma série de situações, o regime alimentar que seguia foi negligenciado e o resultado: dores insuportáveis pelo corpo todo.



Hoje, enquanto esperava a hora de levantar, pensava nos dias em que eu já estava completamente livre de dores. Sim... isso aconteceu, há poucos meses atrás.

Porque é que eu tinha que estragar tudo?

Não sei...

O que interessa, agora, é recomeçar do zero. Tudo de novo... até estar novamente sem dores e, depois, não cair no erro de pensar que já estou boa, que um pãozinho não me irá fazer mal ou aquele arroz de pato, que a minha mãe sabe fazer tão bem...



De volta ao regime alimentar que me salvou a vida, começo já a sentir algumas melhoras. Já me livrei das canadianas, já consigo dormir melhor... as dores das minhas articulações - principalmente, na sacro-ílica direita - já estão mais suportáveis.

Então, toca a continuar... o caminho é em frente...


Até de repente!

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

23 Demorou... em Qua Out 29, 2008 3:39 am

...mas estou de volta!

Like a Star @ heaven

Confesso que já sentia saudades de vir aqui. Contudo, aprendi com a EA que sempre que a vida pede uma pausa, há que fazê-la.

Estas últimas semanas foram bastante "produtivas". Eu costumo "aproveitar" cada crise que tenho para aprender um pouco mais.

A Fibromialgia é uma síndrome musculoesquelética crónica, não inflamatória e de causa desconhecida. Origina dor generalizada nos tecidos moles (músculos, ligamentos ou tendões), e os seus principais sintomas são dores generalizadas, fadiga, alterações quantitativas e qualitativas do sono e perturbações cognitivas.

Esta doença está na origem de uma incapacidade física e emocional, por vezes grave, que atinge cerca de dois por cento da população.

A fibromialgia não é uma doença psicossomática nem do foro psiquiátrico; não provoca comprometimento das articulações nem deformações de qualquer género, para além de não ser uma patologia transmissível.

No entanto, a fibromialgia consegue ser demasiado debilitante quer a nível físico quer psicológico incapacitando, muitas vezes, a pessoa quer para a sua vida profissional, social ou familiar, podendo mesmo incapacitá-la para as rotinas mais simples do seu dia a dia.

Apesar disso, a aparência da pessoa com fibromialgia é completamente normal, razão pela qual este problema tem sido bastante ignorado durante anos, pela maioria dos profissionais de saúde, que frequentemente atribuem tal problema, apenas à cabeça da pessoa.

Isso também porque todos os exames e análises não mostram qualquer alteração existente nas pessoas que sofrem de fibromialgia em relação às pessoas ditas normais.

Como se isto não bastasse, a pessoa que sofre de fibromialgia ainda tem de lidar com a família que não entende as razões de tais queixas e que em vez de promover a ajuda, ainda lhe retiram o apoio de que ela tanto precisa. E os amigos... simplesmente, não entendem porque é que estamos sempre a desmarcar este e aquele encontro.

Esta última crise foi longa - cerca de 4 semanas! Há muito tempo que não tinha uma crise assim: aliás, este ano, foi a primeira!

O que é muito bom!!! A Fibromialgia (FM) era como a EA, para mim: uma companheira no meu dia-a-dia.

Desde que alterei o meu regime alimentar - Dieta do Amido - a FM foi, tal como a Ea, atenuando. As crises mais espaçadas, menos agudas...

Atribuí esta melhoria à dieta... mas não sabia muito bem o porquê.

Com o passar do tempo, fui-me apercebendo que, o facto de ter introduzido três suplementos alimentares ao meu regime alimentar, poderia estar na solução de tal enigma.

Potássio, Cálcio e Magnésio. Estes minerais são uma resposta excelente à necessidade de Equilíbrio Ácido – Base, que o nosso organismo tem.

Eu sou uma pessoa muito - mesmo muito – preguiçosa para tomar medicamentos!!! Detesto tomar seja o que for, mesmo que esteja a “morrer”... então, sempre que os suplementos acabavam eu, simplesmente, esquecia-me de ir comprar mais. Uns dias sem tomar estes comprimidos e... uma crise!

As primeiras vezes, confesso, não associei estas crises com a falta destes suplementos. Mas, o meu marido – sempre atento – perguntava-me sempre: “Olha lá, tens tomado os tais comprimidos?”

E, não é que sempre que voltava a tomar o Potássio, Cálcio e Magnésio, as crises passavam?

Comecei a fazer pesquisas e depressa cheguei à conclusão que a FM deveria ser resultado de um desequilíbrio ácido – base, no meu organismo. Mas, nunca me convenci disso, totalmente. Afinal, quem sou eu para descobrir semelhante coisa? Afinal, se fosse assim tão simples, os investigadores teriam chegado à mesma conclusão!

Esta Grande crise que tive veio dar-me a certeza que um desequilíbrio ácido – base está, de alguma forma, relacionado com a FM.

É claro que o Stress é um dos grandes desencadeadores da fibromialgia. Mas, sem dúvida, que se tentarmos equilibrar o ácido existente no nosso organismo, consegue-se uma melhoria acentuada nos sintomas desta doença.

Vivendo e aprendendo!!!


alien

Um abraço e até de repente!

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum