Síndrome de Reiter ou Artrite Reactiva

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Síndrome de Reiter ou Artrite Reactiva

Mensagem  Susana Lopes em Qui Out 30, 2008 4:14 am

O que é?

Síndrome de Reiter, conhecida como artrite reactiva, é uma doença que afecta as articulações provocando artrite assimétrica, isto é inflamação com aumento das articulações, principalmente nos membros inferiores (pernas).

Pode ser acompanhada de inflamação dos olhos (conjuntivite ou uveíte), inflamação da uretra (uretrite) ou do cérvix (cervicite), inflamação do intestino com diarreia aguda e acometimento da pele e mucosas (da boca e genitais).

Quais são as causas da doença?

A doença aparece em pessoas que são predispostas geneticamente. Entre 60 e 90% das pessoas com síndrome de Reiter apresentam o HLA B27 positivo que é um antígeno de histocompatibilidade humano presente nos cromossomas, que contêm o nosso material genético.

São reconhecidos dois locais diferentes do início da infecção que agiriam como gatilho para o aparecimento da doença:

• infecção intestinal por: Shigella flexneri, Salmonella typhimurium, Salmonella enteritidis, Campylobacter jejuni e Yersinia enterocolítica. De 1 a 3% das pessoas com este tipo de infecção intestinal irão desenvolver a doença cerca de 15 a 30 dias após a infecção inicial.

• infecção urogenital por Chlamydia trachomatis, e menos comum por Mycoplasma. Ocorre em 1 a 2% das pessoas portadoras de uretrite não-gonocócica e as manifestações da doença vão aparecer 15 a 30 dias após a infecção inicial.

Quais são os sintomas da doença?

Em geral, a doença manifesta-se por inflamação das juntas (artrite) que aparece com maior frequência nos membros inferiores (joelhos, tornozelos e articulações sacro-ilíacas).

Pode, também, aparecer nas grandes articulações dos membros superiores como cotovelos, ombros e punhos. As artrites são na maioria das vezes monoarticular ou oligoarticular (até 4 articulações) e assimétricas, ou seja, que não acomete os dois lados do corpo ao mesmo tempo.

É comum a ocorrência de entesite, que é a inflamação da inserção dos tendões nos ossos, principalmente no tendão de Aquiles e fascia plantar (calcanhar).

Essas manifestações articulares estão associadas a uma das seguintes manifestações:

• Uretrite: corrimento no canal da urina ou;
• Cervicite: inflamação no colo do útero na mulher;
• Diarréia aguda;
• Doença inflamatória dos olhos: conjuntivite ou uveíte;
• Acometimento da pele e mucosas: balanite circinada (lesões em volta da glande do pênis no homem e da vulva na mulher) e ceratodermia (lesões descamativas na palma das mãos e planta dos pés).

Com menor frequência, a doença pode acometer o rim (nefropatia) ou o coração (distúrbios de condução do ritmo cardíaco, insuficiência da válvula aórtica com sopro cardíaco).

Entre 20 e 30% das pessoas acometidas podem desenvolver dor lombar baixa que piora após o repouso prolongado e acompanhada de rigidez pela manhã por acometimento da articulação sacro-ilíaca, ocasionalmente ascendendo para a coluna vertebral.

Quais são as consequências da doença?

A Síndrome de Reiter é uma doença auto-limitada, com bom prognóstico, porém na maioria das vezes é reincidente podendo, às vezes, tornar-se crónica.

A duração dos sintomas variam de poucos dias a várias semanas, com incapacidade importante do paciente nesse período. Entre 20 e 30% dos pacientes sofrem algum desconforto (mal-estar, febre, desânimo) ou outros sintomas da doença como artrite, conjuntivite e uretrite.

As sequelas com alterações destrutivas graves e deformidades são muito raras. Alterações degenerativas como osteoartrite das articulações comprometidas podem ocorrer.

Como diagnosticar a doença?

A combinação de sintomas nas articulações, pele e mucosas, órgãos genitais, olhos etc. pode levar o médico a suspeitar de que se trata da Síndrome de Reiter. Entretanto, como nem sempre todos esses sintomas aparecem ao mesmo tempo, a doença pode não ser diagnosticada por vários meses.

Não existe um único exame que indique tratar-se da doença e diversos exames podem ser pedidos:

• Exame ginecológico específico;
• Exame urológico específico;
• Exames laboratoriais de sangue, urina e fezes (não são específicos da doença, no entanto podem revelar sinais de doença inflamatória crónica);

• Exame radiológico (Rx): no início da doença, o exame é normal mas, na forma crónica; pode indicar reacção periostal (reacção da camada superficial que envolve o osso), erosões ósseas no calcanhar, mais especificamente na inserção do tendão de Aquiles e na fascia plantar (camada fibrosa resistente localizada na planta dos pés, logo abaixo da pele, que se insere no osso do calcanhar), inflamação da articulação sacro-ilíaca (sacroileíte) e ossificação dos ligamento da coluna vertebral (sindesmófitos).

Quais são os tratamentos?

O tratamento varia de acordo a severidade das manifestações: anti-inflamatórios não hormonais (AINH), corticosteróides, antibióticos e fisioterapia.

O paciente pode usar uma compressa gelada para alívio da dor e do inchaço das articulações inflamadas.
O repouso da articulação com órtese (aparelho que coloca a articulação afectada na posição correcta para promover a cura sem deformidades) de uso nocturno na fase aguda da doença tem se mostrado efectiva como auxiliar ao tratamento.

A imobilização não deve ser prolongada e quando existe fraqueza muscular acentuada, a deve ser considerada a realização de exercícios para todo o corpo objectivando a recuperação de todo sistema osteomuscular e articulações.

O que acontece se a doença não for tratada?

Apesar de ser uma doença auto-limitada, isto é, durar um período e melhorar muitas vezes mesmo sem tratamento, ela é reincidente, isto é, os sintomas retornam e quanto mais inflamações ocorrer numa articulação, maior será a probabilidade de lesões destrutivas e deformidades da juntas acometidas, podendo levar à incapacidade funcional do paciente.

Como evitar a doença?

Por ser uma doença que pode aparecer em decorrência de uma infecção urogenital e que pode ser transmitida através do contacto sexual, a prevenção pode ser feita com o uso de preservativos, além do tratamento precoce e efectivo das infecções intestinais e urogenitais.

Dra. Marlene Freire

Adaptado daqui.

Susana Lopes

Mensagens : 364
Data de inscrição : 27/12/2007
Idade : 43
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário http://espondiliteanquilosante.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Síndrome de Reiter ou Artrite Reactiva

Mensagem  Lúcia em Dom Fev 08, 2009 7:21 pm

Obrigada pela partilha, apesar de já estar a par disso tudo pois já pesquisei muito na net sobre esta doença.

Lúcia

Mensagens : 7
Data de inscrição : 08/02/2009
Idade : 38
Localização : Barcelos

Ver perfil do usuário http://maes-solteiras.forumeiros.com/forum.htm

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum